sexta-feira, 27 de maio de 2011

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Combinações Básicas de Vinho e Alimentos

São Paulo, domingo, 27 de fevereiro de 2011.

Vinhos e Alimentos
Combinações Básicas de Vinho e Alimentos

Após a escolha do prato, procure analisar seus ingredientes e a forma de preparo. Sempre que possível busque combinar pratos regionais com vinhos locais. É mais seguro e o risco de surpresas desagrádaveis é menor. Via de regra uma refeição, para ser bem equilibrada, inicia com uma entrada e termina com o prato principal, sempre do mais leve ao mais pesado.

O mesmo ocorre com os vinhos onde os vinhos brancos antecedem os tintos; os vinhos secos antecedem os vinhos docês; os jovens antes dos envelhecidos e os vinhos simples antes dos mais complexos.

Aperitivos
A escolha do aperitivo deve ser bastante cuidadosa já que este deve ser um momento agradável, fino e de descontração que tem por objetivo aguçar as sensações para os momentos que antecedem a refeição. Portanto combinações do vinho com caipirinhas e outros destilados não são recomendadas. Procure servir-se de espumantes brut caso a espera não seja acompanhada de petiscos. Tendo o acompanhamento de petiscos, procure servir-se de espumante brut, vinho branco seco, de sabor não muito pronunciado, ou um xerez fino. Porém se o acompanhamento for a base de antepastos mais fortes como a beringela, a sardela ou o pão de alho, por exemplo, procure o acompanhamento de um vinho tinto seco de taninos mais presentes do que acidez. Um Malbec argentino iria muito bem neste caso.

Sopas
Sopas e vinhos podem harmonizar muito bem. Como tudo basta fazer a escolha certa. Uma canja pode ser acompanhada de um vinho branco como o chardonnay ou pinot blanc. Sopas cremosas pedem vinhos mais encorpados como um chardonnay, muscadet, bordeaux branco, espumantes e rosés leves também podem funcionar. Já as sopas mais substanciosas, com carne, pedem vinhos tintos como o Merlot, Cabernet-Merlot entre outros.

Carnes vermelhas e queijos fortes
Quando o prato é a base de carnes vermelhas fritas ou grelhadas, um vinho tinto seco e leve irá harmonizar sempre muito bem. Já as carnes assadas e queijos fortes devem ser acompanhadas de vinhos tintos secos, porém mais encorpados.

Massas
Massas do tipo alho e óleo pedem sempre o acompanhamento de vinhos tintos mais leves. Contudo se o prato for regado ao molho de tomate, e que portanto tem bastante acidez, a harmonização deve ser feita com vinhos tintos e secos mais intensos. Massas regadas ao molho branco, antepastos e saladas devem ser servidos acompanhados de vinhos brancos e secos.

Peixes
Peixes normalmente pedem vinhos brancos secos e leves enquanto que mariscos e ostras pedem vinhos brancos secos, porém encorpados.

Bacalhau
O bacalhau é sempre um caso a parte já que ele não é carne e nem é peixe; é bacalhau! Existem gostos variados de vinhos para acompanhar este tipo de prato, porém um vinho branco seco e bem encorpado vai sempre muito bem. Outra opção é um tinto leve.

Sobremesas
Sobremesas pedem vinhos docês e fortificados. Um bom vinho do Porto, um Madeira ou ainda um Sauternes acompanham muito bem sobremesas caseiras como bolos, tortas docês, frutas secas, etc.
O segredo esta em consequir equilibrar o nível de docê do prato com o nível de docê do vinho. Conseguindo isso obtem-se resultados extremamente agradáveis.

É claro que as sugestões de harmonização, aqui passadas, retratam combinações mais comumente aceitas por sommeliers e outros profissionais do mundo do vinho. Porém o que irá contar sempre é o gosto pessoal de cada pessoa que sempre encontrará um vinho mais agradável, ao seu próprio gosto, para harmonizar com um prato tambem de sua escolha.


SUPER INTERESSANTE ESTE SITE
VISITE CLICANDO NO LINK ABAIXO

Taberna do Vinho
www.tabernadovinho.com.br

WINE BLOGGER´S CONFERENCE. . .

The European Wine Blogger’s Conference is announcing its 2010 location in Vienna, Austria, on October 22-24! winebloggersconference.org

Veja no . . . www.bilibio.com.br

"O que está certo ainda supera o que é direito."
Menandro

Use a nossa parceria logophonne . . .

APAREÇA . . .

Conheça um pouco dos Vinhos DelRei






Fruto de um passado

Descendentes de italianos, Victório Scopel e sua família, deixaram o norte da Itália no final do século XIX e vieram para o Brasil embalados no sonho de uma vida melhor. Trouxeram consigo apenas alguns pertences, mas muita fé e determinação. De lá, veio também a arte e a tradição de transformar a uva em vinho. Das rústicas ?bordolezas? do velho porão construído com pedras, a Família Scopel foi aprimorando sua arte e paixão pelo vinho.

Em 1985, ?la piccola cantinetta?, estrutura-se em moldes empresariais, passando a denominar-se Vinícola São Luiz - Vinhos Del Rei, dando início a uma história de sucesso e de grandes conquistas. Atualmente a vinícola tem capacidade de produzir mais de três milhões de litros de vinho e de outras bebidas derivadas da uva como sucos, coolers, espumantes, frisantes e vinagres, atendendo diversos segmentos do mercado em vários estados do país. O parque fabril localiza-se no interior do município de Caxias do Sul - RS com uma área construída de 5.000m². Conta com equipamentos de última geração, mesclando modernos processos tecnológicos à mão-de-obra familiar, o qual evidencia os valores herdados no passado pela Família Scopel e faz dos Vinhos Del Rei nobres na qualidade e peculiares na tradição.

Missão

Produzir vinhos e bebidas derivadas que atendam e satisfaçam os consumidores mais exigentes, assegurando sempre uma constante qualidade através do tempo.

Visão

Buscar inovar, modernizar e ser reconhecido, respeitando as tradições, os consumidores e o meio ambiente.





Um pouco sobre os vinhos

Refletindo marcas da cultura, história e da região de seu cultivo, o vinho traz consigo diversos prazeres e aprendizados. Ao provar de uma taça, podemos apreciar não só seus sabores e aromas, como também traços de um lugar e um momento no tempo. Assim, podemos ter a certeza de novos prazeres a cada garrafa, pois não há um vinho igual a outro.

Há diversas variáveis envolvidas na produção de um vinho. O terroir refere-se à combinação resultante do local em que são plantadas as uvas, como o relevo, o solo, o clima e a umidade. Tais fatores produzem variações nas características dos frutos, que podem ser mais ou menos doces, úmidos, aromáticos, etc.

A cepa é o tipo de uva, seja ela tinta ou branca. Entre as cepas também são encontradas grandes variações de sabor e aroma e é possível fazer um vinho de um tipo específico de uva (varietal) ou com misturas (cortes).

Além disso, temos também as variações de época da colheita, processos para a vinificação, tempo de envelhecimento... e tudo isso faz com que as combinações sejam infinitas.

Dessa forma, aproveite cada taça, pois é um momento único que deve ser apreciado plenamente.

VINHOS PERSONALIZADOS . . .

VINHOS PERSONALIZADOS . . .
. . . SÃO UMA TENDENCIA DE MARKETING . . .

Um bom vinho é sempre recomendável . . .

Um bom vinho é sempre recomendável . . .
MAS UMA LINDA MENSAGEM EMOCIONA . . .

VEJA NO BILIBIO.COM.BR

Um pensamento:
"O homem mais rico do mundo é aquele que ainda guarda o primeiro amigo que fez."